//
você está lendo...
Sem categoria

Cabanagem e a Força da Memória Coletiva

banner-cabanagem-

Por Rômulo Fonseca Morais

Em recente entrevista realizada pelo Grupo Cabano de Criminologia, a professora Vera Malaguti Batista, que há pouco tempo esteve em Belém, nos falava sobre a importância da memória coletiva que tem o poder de se transmitir pelos interstícios da história e que acaba explodindo quando menos se espera. É essa memória coletiva que nos força a ver e perceber que a triste e violenta opressão que o povo belenense vive hoje é uma permanência de longa duração. É essa memória coletiva também que nos leva aos escombros da história para nos colocar diante das lutas e resistências desse povo contra toda essa opressão que reverbera na “história do presente”.

Enquanto muitos opressores estão dormindo – assim como os opressores dormiam na madrugada daquele dia 7 de janeiro de 1835, quando quatro colunas de homens armados atacaram Belém e desencadearam a partir daí o mais sangrento e importante movimento de insurreição popular do império brasileiro – nós observamos o povo cultivando a força daquela memória que vazou e que pode eclodir a qualquer momento, no intempestivo.

A Cabanagem como conteúdo concreto dessa memória tem essa força de nos fazer perceber a opressão a que fomos e somos submetidos e nos colocar nos interstícios da história, em contato com os potentes ecos das lutas e resistências desse povo tão sofrido e aguerrido que é o povo de Belém do Grão Pará.

As mobilizações em torno do dia 7 de Janeiro são parte desse importante conteúdo histórico que consegue ressoar e resistir aos permanentes esforços de apagamento de nossa memória coletiva. Afinal, os “homens de bem” (ou “de bens”?) dessa terra aprenderam com a história a força que tem esse povo.


Rômulo Fonseca Morais é Mestrando em Direito (Linha: Intervenção Penal, Segurança Pública e Direitos Humanos) pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Colaborador do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA). Pesquisador do Centro de Estudos Sobre Intervenção Penal (CESIP) e Grupo de Estudos e Pesquisa Direito Penal e Democracia, ambos da UFPA. E-mail: romulofmmiri@hotmail.com.


Informações Bibliográficas

MORAIS, Rômulo Fonseca. Cabanagem e a Força da Memórica Coletiva. InCriminologia Cabana, Belém, jan., 2016. Disponível em: <https://criminologiacabana.com/2016/01/07/cabanagem-e-a-forca-da-memoria-coletiva/>. Acesso em [dd.mm.aa].

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Categorias

Anúncios